Critérios de Avaliação

Orientações sobre Avaliação

 

A Faculdade Presbiteriana Mackenzie Brasília baseada em seu Regimento Geral, Capítulo IV, adota os seguintes princípios quanto à avaliação da aprendizagem: incidirá sobre a frequência mínima obrigatória do estudante em 75% às aulas e demais atividades acadêmicas programadas, e sobre o aproveitamento do estudante. Os critérios para a verificação desse aproveitamento correspondem as verificações parciais da aprendizagem e uma eventual prova final, expressando-se o resultado final em notas de 0,0 (zero) a 10,0 (dez). As verificações parciais compreenderão cinco etapas:

·         Avaliação Específica 01 (A1) – Peso 2.

·         Avaliação Específica 02 (A2) – Peso 2.

·         Avaliação Geral Integrada – Peso 2.

·         Projeto de Práticas Investigativas (PPI) – Peso 2.

·         Produções Acadêmicas (APA) – Peso 2.

 

As avaliações específicas 1 e 2 correspondem aos instrumentos que aferirão os domínios de processo cognitivo assinalados nos descritores dos planos de ensino. Cada professor tem autonomia para elaborar seu instrumento de acordo com as competências, habilidades e atitudes traduzidos nos objetivos geral e específicos, designados no plano de ensino.

A avaliação geral integrada (AGI) instrumento aplicado próximo ao término da etapa (semestre) em curso, consiste num exame elaborado por vinte (20) questões nos moldes do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). Os respectivos componentes curriculares contribuirão para a elaboração desse instrumento, com o objetivo de induzir a qualidade do ensino da etapa correspondente, assim como, estimular o estudante a uma nova compreensão da realidade, articulando elementos que passam entre, além e através dos componentes curriculares, ou seja, à construção da perspectiva transdisciplinar.

O Projeto de Práticas Investigativas refere-se as atividades de natureza prática, nos moldes científicos. Seus critérios serão designados pelo professor, a depender do projeto.

A avaliação das produções acadêmicas (APA) é designada pelo professor do Componente Curricular e deve estar consonante com as competências (conhecimento, habilidades, atitudes) e valores caso sejam contemplados no plano de ensino. Como exemplo de instrumentos avaliativos das produções acadêmicas, pode-se destacar: preleções, exercícios, trabalhos práticos, seminários, visitas técnicas, atividades escritas e orais, previstos nos respectivos planos de ensino, assim como, Atividades Complementares e participação nos programas de aperfeiçoamento (nivelamento).

As avaliações serão realizadas no decorrer do semestre letivo, em caráter contínuo e em acordo com os Planos de Ensino apresentados, em número não inferior a cinco processos avaliativos. Considerar-se-á aprovado o discente que obtiver a média mínima 7,0 (seis), resultante do cálculo efetuado entre a somatória (média) de no mínimo dois instrumentos de avaliação aplicados no semestre.

Se não obtiver como resultado final a aprovação do componente curricular, o discente poderá se submeter a um Exame Final que será utilizado para o novo cálculo da média final.